sexta-feira, 29 de abril de 2016

Entrevendo


Quando amanhece esses dias entristecidos, me bate uma saudade tremenda do tempo em que vivia na Solidão. Quando o sol raiava, lá íamos nós rumo à escola, quebrando nos pês, o gelo da madrugada. Lembro também da família reunida em volta do fogão de lenha, a espera do chiar da chaleira para sorver o primeiro chimarrão. Saudade!!! Onde andará... Onde andará... Quem sabe anda perdida, presa dentro de nós...









Até a próxima se Deus quiser...


 Anajá Schmitz

terça-feira, 26 de abril de 2016

Musgo


Olá queridos amigos! Espero que todos estejam bem! Reclamei do calor e o frio chegou violentamente sem avisar. Começamos a semana com um calor de 38 graus e já estamos com uma temperatura baixíssima. Temos previsão para um grau neste fim de semana. Com esta loucura de calor e chuva, em nosso telhado cresceu musgo. Os gatos passeando pelo telhado derrubaram este belo pedaço de musgo. Já está enfeitando a casa. 






Até a próxima se Deus quiser...


 Anajá Schmitz





sexta-feira, 22 de abril de 2016

Entardecer em casa


Nestes últimos dias temos tido um calor assustador. Nós aqui do sul temos uma temperatura mais baixa do que do resto do país. Mas agora parece que estamos no Rio de janeiro. A temperatura dentro de casa passou os quarenta graus. Não se tem lugar para parar. Passamos o fim de semana entocado dentro de casa curtindo o ar climatizado. Barbaridade!


















Até a próxima se Deus quiser...


 Anajá Schmitz



segunda-feira, 18 de abril de 2016

Loucura antes do casamento


Um dia antes do casamento, tivemos um temporal muito feio. Derrubou árvores e fez uma sujeira danada. Ao anoitecer o tempo melhorou. No dia do casamento que conseguimos limpar tudo. O tempo nos judiou! Abria sol e chovia ao mesmo tempo. Uma chuvinha de molhar bobo como dizia meu pai. A noiva secava as cadeiras a todo momento.


























Até a próxima se Deus quiser...


 Anajá Schmitz

segunda-feira, 11 de abril de 2016

Vestido de noiva de crochê Alana

Não sei de onde surgiu a ideia de fazer o vestido de noiva para minha filha, em crochê. Fiz a parte do corpete de florzinha. Tive que fazer escondida, pois ela não queria que ninguém visse, para ser surpresa. Mas quem montou tudo e fez ficar belíssimo, foi a Dona Gessi, ela é costureira aqui na cidade, e já fez inúmeros vestidos de noivas. O cinto foi bordado pela noiva.









       















Até a próxima se Deus quiser...


 Anajá Schmitz