sexta-feira, 22 de maio de 2015

Lareira 01


Da carcaça esperançosa já está saindo uma lareira. A primeira pois a segunda já está no papel. Quero ver lenha pra tanta lareira. Construir hoje em dia é uma tarefa difícil e cara, devido a falta de profissionais e de madeiras tratada no mercado. Esses contratempo encarece tudo pois não há opções. Alfredo para se distrair um pouco começou a trabalhar a madeira e se deu muito bem. De pequenas prateleiras hoje ele se atreve a fazer a parte de madeira do galpão de nossos sonhos. No inicio ele estava a mil, cheio de planos mas teve que acalmar e esperar os profissionais que trabalham com a parte de alvenaria fazer as coisas pesadas. 
















Agora o resto é com ele. Ele tem mil planos para decorar a lareira, mas nos deparamos com a falta de madeiras. Estamos usando madeira de reflorestamento e tratada nesta construção. Vamos fechar de vidro uma boa parte do galpão. Não imaginava que era tão caro o vidro.


Até a próxima se Deus quiser...

 Anajá Schmitz

segunda-feira, 18 de maio de 2015

Um tour pelos cenários de Solidão


Quando vamos para Solidão, esse belo cenário nos dá as boas vindas e também se despede de nós, nos deixando uma vontade louca de retornar o mais breve possível. Essas figueiras me trazem boas lembranças da infância. Todos finais de semana meu pai nos reunia e íamos para praia. E lá ia ele com a ninhada de cinco filhos. No caminho para a praia tinha uma figueira frondosa e sempre cheia de frutos. Para minha tristeza. Eu não gostava dos frutinhos, mas para meu pai era uma alegria nos levar para comer os figuinho. Parávamos a carroça de bois em baixo da figueira e era só levantar o braço e pegar os frutos. Ele ficava numa felicidade comendo aqueles frutos que nos cortava o coração dizer que nós não gostávamos. Então, nós comíamos para agradá-lo. O fruto era bem pequeninho doce demais e tinha um leite que travava a língua. Que fruto ruim. Não sei como ele gostava daquilo.
 
Quando olho para essa imagem me lembro dos apuros que passaram e ainda passam os agricultores, principalmente os lavoureiro de arroz. Eles não tem nenhum incentivo da parte do governo. E os que buscam ajuda como empréstimos bancários não aguentam as altas taxas de juros e acabam quebrando seu negócio.







 








Até a próxima se Deus quiser...

 Anajá Schmitz

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Comemorando mais uma vez....




Olá queridos amigos! Com o frio chegando à fome aumenta e as coisas boas nos saltam aos olhos. Louca por doce como sou, não consigo ficar nem uma hora sem comer um açúcar. Essa rosca de polvilho é uma das especialidades de Osório. Essa é doce com açúcar por cima, mas tem para todos os gostos. Salgada, recheada e com leite condensado. Minha sobrinha Flavia é que faz aqui para família. Eu faço somente o bolinho de polvilho que é mais prático. Receita Aqui.

Às vezes tento dar uma incrementada em tudo, como era dia das mães arrumei melhor a mesa. Ando meio desleixada, a correria dos tempo modernos.

Guardanapos presente da minha querida amiga Adriana do blog Decorar e cozinhar.







Até a próxima se Deus quiser...

 Anajá Schmitz

quarta-feira, 13 de maio de 2015

Madrugada campeira



O vento minuano não descansa, no silêncio da madrugada ele passa zunindo e mexendo com o povo que dorme tranquilamente. E para não deixar tudo no marasmo da preguiça, nos atira algumas telhas para mostrar o lindo dia que vem raiando.









Enchendo Os Olhos De Campo - Luiz Marenco


Até a próxima se Deus quiser...

 Anajá Schmitz



sexta-feira, 8 de maio de 2015

Bons momentos


Olá queridos amigos e amigas. Obrigada pelas felicitações. Casar novamente foi maravilhoso. Renovar os votos nos fez relembrar dos belos momentos que passamos juntos e também das pessoas que passaram em nossa vida. Tudo veio a nossa memória e nos deu muita alegria. Combinamos de renovar novamente os votos a cada cinco anos. Mas é muito tempo de espera. Estou planejando fazer outra festa no próximo ano. Comemorar vicia.



Esse bolo inventei para os aniversários da família e muito bom. Receita está AQUI. Coloquei no Freezer para gelar mais rápido, esqueci, congelou, conforme o tempo ia passando ele ia derretendo, mas ficou mais gostoso.



Se procurar bem você acaba encontrando.
Não a explicação (duvidosa) da vida,
Mas a poesia (inexplicável) da vida.
            Carlos Drummond de Andrade

Até a próxima se Deus quiser...

 Anajá Schmitz

quarta-feira, 6 de maio de 2015

Minhas tão esperadas bodas.



Olá queridos amigos e amigas. Hoje compartilho um sonho realizado. Desde os 25 anos de casada que estou programando casar novamente. Mas naquela época perdi minha mãe e fui deixando. Outro dia, uns dois meses antes de fazer 30 anos de casada, comentei com um amigo de meu marido sobre meu sonho de casar novamente. Fagundes, uma pessoa iluminada e especial, juntamente com seus irmãos da maçonaria ajeitaram tudo. A mim me coube decorar a sala de jantar. Que dia maravilhoso. Fiquei nervosa e envergonhada como da primeira vez que casei. 


 









Nunca vi uma pessoa tão feliz como o noivo.




























Minha amada família.


Obrigada aos queridos amigos e familiares, sem eles essa cerimonia não seria possível. Agradeço aos assadores, Ricardo Casagrande e o Sr. Dionisio, que prepararam um jantar maravilhoso. E também ao nosso querido fotógrafo Leonardo Ribeiro, que nos permitiu nos emocionarmos mais uma vez com suas belíssimas imagens.
Até a próxima se Deus quiser...

 Anajá Schmitz